Área do Aluno

Apaes participam de Seminário para implantação gradativa do programa Educação ao Longo da Vida

Nos dias 25 e 26, a Federação das Apaes do Estado de Minas Gerais (Feapaes-MG), por meio do Instituto de Ensino e Pesquisa Darci Barbosa – Uniapae-MG (IEP Uniapae-MG), realizou o III Seminário de Educação ao Longo da Vida (ELV) para a Pessoa com Deficiência Intelectual. Profissionais de 27 Apaes mineiras indicadas pelos Conselhos Regionais participaram do Seminário com o objetivo de implantar, gradativamente, o programa de Educação ao Longo da Vida nas entidades. São elas:

  • Além Paraíba, Arcos, Brumadinho, Coronel Fabriciano, Curvelo, Frutal, Igarapé, Itabirito, Janaúba, Januária, João Monlevade, João Pinheiro, Lambari, Monte Carmelo, Montes Claros, Passos, Patos de Minas, Pedro Leopoldo, Perdões, Piraúba, Poços de Caldas, Pouso Alegre, São João del-Rei, São Lourenço, Teófilo Otoni, Três Pontas e Tupaciguara.

No primeiro dia de Seminário, a abertura ficou a cargo do Superintendente Voluntário da Feapaes-MG, Eduardo Barbosa, autor da Lei nº 13.632, que dispõe sobre o direito à educação e à aprendizagem ao longo da vida. A Coordenadora da Unidade Ensino e Pesquisa do IEP Uniapae-MG, Maria do Carmo Menicucci, também falou durante a abertura sobre o avanço do programa de ELV nas Apaes – do projeto piloto executado nas Apaes de Belo Horizonte e Pará de Minas para essa nova etapa de implantação gradativa nas 28 Apaes.

Em nome da Feapaes-MG e IEP Uniapae-MG, o Superintendente do IEP, Sérgio Sampaio Bezerra, e Maria do Carmo Menicucci, homenagearam Eduardo Barbosa pelas incontáveis contribuições para o desenvolvimento do programa de ELV.

 

Ainda na segunda-feira, 25, a equipe técnica do IEP Uniapae-MG apresentou a proposta e contextualização do Seminário, além de conceitos, diretrizes e caracterização do programa.

Maria do Carmo Menicucci foi a Coordenadora Geral do projeto piloto e também recebeu homenagem por todo o trabalho desempenhado em prol do programa de ELV.

Já no segundo dia de Seminário, professoras e profissionais de outras áreas – como a de Emprego Apoiado – das Apaes participantes do projeto piloto da ELV (BH e Pará de Minas) puderam apresentar suas experiências advindas do projeto. Com isso, os profissionais das Apaes onde o programa será implantado aprenderam sobre a metodologia e a aplicação de protocolos, as diferenças entre o público da ELV e de outros serviços da Apae, entre outros aspectos fundamentais para a execução do programa com assertividade, seguindo o propósito de trabalhar o que é melhor para a pessoa com deficiência intelectual.

Parte da equipe técnica responsável pelo projeto piloto nas Apaes BH e Pará de Minas, e do IEP Uniapae-MG

“O programa ELV busca atender as demandas de jovens e adultos com deficiência intelectual que necessitam de apoios intermitentes e/ou limitados nos momentos de transição de alguma fase da vida, principalmente que no tange a definição de seus projetos de vida”, afirma Fabiana Zuttin Cavalcante, que atuou como Consultora Técnica durante a execução do projeto piloto.

No Seminário, o público recebeu o material norteador para os próximos passos da implantação gradativa do programa nas entidades indicadas. Foi um momento de “despedida” para a equipe da Unidade Ensino e Pesquisa do IEP que desenvolveu o projeto piloto nas Apaes de BH e Pará de Minas durante 18 meses, e de boas-vindas para as profissionais da Unidade Apae Consultoria IEP Uniapae-MG que irão, a partir de agora, acompanhar e monitorar a implantação.

Clique aqui para conferir todas as fotos do Seminário.